DIVULGANDO O PODER DAS ERVAS

 

ervas2

 

Ervas são usadas há milênios para ressaltar o sabor dos alimentos em diferentes cozinhas do mundo. Por isso é seguro dizer que, sem elas, muitos pratos não teriam a mesma graça. Estudos científicos também comprovam que essas folhinhas são capazes de aliviar dores, facilitar a digestão e fortalecer o sistema imunológico. Mas ainda é um mistério para a ciência entender por que muita gente acredita no poder que elas e algumas outras plantas têm de atrair amor, proteção e prosperidade.

No Brasil, a relação mística com as ervas foi herdada da religião africana e dos rituais indígenas. Os adeptos da fitoterapia também recorrem a elas para dissolver sentimentos desfavoráveis, pois as moléculas aromáticas das ervas são captadas pelo olfato e traduzidas para o sistema límbico como impulsos nervosos que atuam diretamente no humor e estado físico e emocional.

Como as ervas geralmente têm formatos delicados, exigindo um pedaço pequeno de terra, sol e água para crescer, podem ser facilmente cultivadas em casa, no jardim ou num vaso na varanda. Por isso, acreditando ou não nos poderes atribuídos a elas, procure manter por perto um vaso de alecrim, manjericão, orégano ou mesmo hortelã, pois o aroma e viço dessas plantinhas trazem, no mínimo, bem-estar.

Oito ervas purificadoras:

1- ORÉGANO (Origem: Mediterrâneo)

O aroma marcante desta erva promove vigor e ajuda na tomada de decisões. O orégano e a manjerona são plantas usadas para fortalecer o amor e proteger a casa. Um vaso com essas ervas é um ótimo presente para quem está triste e deprimido, pois elas atraem alegria e pensamentos felizes.

2-SÁLVIA (Origem: Mediterrâneo)

Essa planta costumava ser colocada ao lado de uma pessoa enferma para que a folha (comprida, peluda e rugosa) pudesse absorver a energia ruim para depois ser queimada. Na mitologia, a sálvia aparece como um escudo contra mau-olhado e olho gordo.

3-ALECRIM (Origem: Mediterrâneo)

Segundo a cultura popular, suas folhas fazem a energia circular, evitando o acúmulo de vibrações negativas. A infusão usada no banho ou borrifada no ambiente traz equilíbrio e alegria.

4-MANJERICÃO (Origem: Ásia)

Associado à riqueza, abundância e boa sorte. Dizem que, na casa onde são cultivados sete tipos diferentes de manjericão, o dinheiro e a prosperidade são garantidos. Seu aroma é considerado estimulante e revitalizador. Usado no banho, “lava” toda a energia ruim. Diz a crença popular que pessoas que fazem trabalhos intelectuais rendem mais  quando têm um vaso da erva no ambiente.

5-LOURO (Origem: Oriente)

Desde a Antiguidade ele representa a glória, o triunfo e a fama, tendo sido muito usado pelos gregos e romanos como símbolo de status. Segundo a crença popular, manter uma folha seca dentro da carteira atrai dinheiro. E a infusão usada no banho ou no ambiente purifica e relaxa.

6-HORTELÃ (Origem: Mediterrâneo)

Existem várias espécies de hortelã e a mais comum no Brasil é a piperita. Possui efeito calmante e harmonizador. Também ajuda a dissolver emoções negativas, como a raiva, e é indicada contra as decisões impulsivas.

7-BOLDO DO CHILE (Origem: Chile)

É usado para acalmar, permitindo que você tenha uma visão melhor para os negócios e, com isso, maior chance de prosperar. Curiosamente, a fitoterapia recomenda o boldo para problemas digestivos e para manter o fígado (órgão da ira) equilibrado.

8-BABOSA (Origem: África)

Foram os escravos que trouxeram essa planta para o Brasil. Eles acreditavam que ela tivesse o poder de afastar qualquer tipo de doença. O gel encontrado no interior da folha é considerado excelente para fortalecer os fios de cabelo e tratar queimaduras.

ervas1

Aqui está a lista de algumas ervas e hortaliças com suas características e aplicações mais comuns na culinária.
Sabendo um pouco mais sobre elas, fica mais fácil escolher quais colocar na sua mini-horta.

1 – Louro

Plantado no solo, vira uma árvore de grande porte. Suas folhas, famosas por trazer sorte, caem bem em molhos de peixes e carnes. Antes de servir, devem ser retiradas para não amargarem a comida.

2 – Pimenta

Pelo seu colorido são as grandes vedetes dos jardins de ervas. De diferentes tamanhos, podem ser vermelhas, verdes, amarelas e roxas. Na culinária são amplamente utilizadas.

3 – Manjericão

Existem várias espécies de manjericão. Florescem com facilidade, decorando e perfumando os herbários. Suas folhas são tradicionalmente utilizadas em molhos de pizzas e massas.

4 – Orégano

Em vasos, suas folhas frescas têm um perfume mais suave do que quando secas. Para desidratá-las, colha alguns ramos e mantenha-os envoltos em papel pardo, em local fresco, seco e arejado.

5 – Hortelã

Ao crescer, os ramos da menta (como também é chamada) se embrenham na terra. Suas folhas, muito aromáticas, têm propriedades digestivas e podem ser usadas em chás, saladas, carnes e quibes.

6 – Sálvia

Desenvolve-se muito bem em vasos e é uma ótima opção para temperar aves e carnes gordurosas. Digestiva, também pode ser usada no preparo de manteigas, pães e vinagres aromatizados.

7 – Cebolinha

Nos seus delicados maços é muito comum haver folhas murchas ou amareladas. Ao selecioná-las para o consumo (omeletes, saladas, patês, sopas, etc.) prefira as verdinhas e túrgidas.

8 – Alecrim

Quando as mudas são plantadas em grandes vasos, transformam-se em vigorosos arbustos. Suas folhas (estimulantes) são muito utilizadas em chás ou no tempero de carnes, peixes e aves.

9 – Salsinha

Em vasos grandes, pode chegar a um metro de altura. Por conta do aroma suave e agradável das folhas, esta herbácea é utilizada em diversos pratos: saladas, sopas, molhos e temperos em geral.

cachepots-ervas

Vasinhos, ervas e hortaliças à venda na Jardinaria. Foto por Newman Homrich.

A procura por uma alimentação mais saudável e um modo de vida mais natural tem sido cada vez maior. Alimentos orgânicos, cultivados sem agrotóxicos ou fertilizantes químicos, fazem bem e são muito mais saborosos.

E a boa notícia é que poder colher o próprio alimento, ter contato com a terra e fazer da atividade uma terapia ou hobby não é privilégio apenas de quem dispõe de quintal em casa. É possível cultivar uma mini-horta mesmo em espaços reduzidos, como varandas, áreas de serviço ou jardineiras de apartamentos.

Os alimentos mais cultivados nas mini-hortas caseiras são aqueles utilizados como tempero: cebolinha, salsinha, manjericão, hortelã, orégano, boldo, erva-doce, erva-cidreira, melissa e alecrim, entre outros. Além de garantirem um toque especial aos pratos, estas plantinhas também dão vida, beleza e charme à decoração, além de exalarem aromas surpreendentes. São de fácil cultivo, exigem pouca atenção e ainda há a vantagem de se conhecer a procedência dos ingredientes, totalmente orgânicos, sem falar na economia nas compras de supermercado.

Para quem tem crianças em casa, uma mini-horta pode trazer benefícios ainda maiores, sendo motivo de diversão e entretenimento, valendo também como instrumento de ensino, pois o plantio incentiva o cuidado com a terra e repassa noções sobre o meio ambiente. Produtos específicos e pequenos cuidados, como a quantidade correta de água, iluminação e temperatura são as únicas recomendações para manter a qualidade das plantas.

Para montar sua mini-horta, você pode se guiar pelo passo a passo que preparamos:

Local

Espaços arejados e bem iluminados são fundamentais para conservar os temperos saudáveis. Por isso, escolha um local que receba sol ao menos de três a quatro horas por dia. Hortas adoram sol.

Vaso
 
Para a escolha dos vasos não há regras, apenas algumas orientações básicas:

Os vasos devem possuir furos em baixo para drenar o excesso de água. Vasos de 20 cm de altura costumam ser suficientes para um bom desenvolvimento das raízes. Vasos rasos demais secam muito rapidamente.

Para deixar sua horta mais bonita, você pode colocar os vasinhos dentro de cachepôs. Na Jardinaria você encontra cachepôs (como esses da foto) que são específicos para esse fim, e  são ótimos para quem ainda confunde o que é o que, porque possuem a identificação das plantas neles próprios.

Espécies

Para uma horta em vasos, as melhores opções normalmente estão entre as pequenas hortaliças aromáticas e as ervas medicinais, que produzem constantemente. Você pode encontrar essas plantas em forma de sementes ou mudas já prontas, em supermercados ou lojas especializadas.

As mudas já formadas facilitam o plantio e aceleram o processo. Na Jardinaria há uma diversidade delas para você escolher. para que você possa optar de acordo com sua necessidade (e paladar).

Terra

O vaso deve ser cheio com terra vegetal, que possui todos os nutrientes (nitrogênio, fósforo e potássio, além de farinha de osso, entre outros). Para quem não encontrar terra adubada, pode prepará-la sozinho: coloque uma parte de terra comum, uma parte de esterco (bem seco) ou húmus e uma parte de areia. Misture bem e pronto! Você acabou de criar a sua terra artesanal.

Adicione sempre um pouco de húmus, mas sem exageros, pois seu excesso pode levar as plantas à morte. E nunca use adubo químico!

Plantio

Para evitar que o vaso encharque, basta cobrir o fundo com uma camada fina de pedras britadas, cacos de telha ou porcelana, ou mesmo outro material que tenha disponível. Se utilizar sementes, semeie na profundidade recomendada na embalagem, mas se já possuir mudas, o que torna o plantio ainda mais simples, espalhe a terra vegetal até a metade do vaso e assente a planta no centro do composto, completando com mais terra.

Pressione levemente em torno da muda para eliminar os bolsões de ar, regue até que a terra fique bastante úmida, devagar, sem inundar, e evite sol direto por dois dias.

Rega

Essa é a tarefa mais importante. E, depois de ter seguido todo o passo a passo, será praticamente o único trabalho que você terá com sua mini-horta.

Procure manter a terra sempre úmida, sem nunca encharcar. Molhar uma vez por dia normalmente já é o suficiente. Mas como a quantidade de água necessária varia de planta para planta, o ideal é que você sempre toque a terra para verificar sua umidade, pois tanto o excesso quanto a falta de água podem matar sua plantinha.

Colheita

Entre 20 e 30 dias será possível colher as hortaliças saudáveis e fresquinhas. Mas colha só o que for usar e quando for usar, lembrando que a planta terá esforço para se recuperar de cada retirada. Portanto, é importante que as colheitas sejam cuidadosas, utilizando-se tesouras bem afiadas e nunca cortando os brotos.

Boa sorte!

FONTE: http://hortaemapartamento.blogspot.com/

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s