NOSSO OBJETIVO

 

 

Queridos Seres de Luz!

Todos nós estamos conscientes das mudanças que estão ocorrendo em nosso planeta, não existe uma única parte dele que não esteja sendo atingida pela fúria da Terra enfurecida com o tratamento que nós, os seres humanos, estamos dispensando a ela há algum tempo.

Uma hora, claro, iríamos ter que arcar com a responsabilidade dos nossos atos e o momento chegou; mas, mesmo diante de tantas catástrofes ambientais ainda existem aqueles que acreditam que podem mudar essa situação e se dedicam a arregaçar as mangas na tentativa de fazer um mundo melhor, principalmente para as gerações que virão.

O mundo está cansado de tanta falta de responsabilidade diante da vida não só dos homens, mas principalmente do ambiente em que vivemos.

Enquanto muitos se preocupam com o poder e o dinheiro, uma minoria trabalha anonimamente na tentativa de resgatar o bem-estar e a tranquilidade da humanidade, através de uma abertura de consciência para as necessidades que estamos enfrentando diante de tanto descaso com o que temos de mais importante, a vida.

Precisamos mudar a nossa maneira de agir, só assim vamos poder manter um planeta saudável para nossos filhos, netos, enfim, para as futuras gerações.

Não precisamos de tanta coisa para sermos felizes, podemos criar uma vida mais simples sem que com isso tenhamos que passar necessidades, precisamos apenas entender que aquilo que sobra em nossa mesa falta na do nosso vizinho.

Se temos um pedaço de terra porque não podemos plantar aquilo que necessitamos em nossas mesas; e isso vale também para outros recursos que poderiam tornar nossa existência mais útil e mais feliz.

Olhem por alguns segundos em volta de vocês e vejam quanta coisa estamos abandonando em prol do que chamamos de “uma vida melhor”; será mesmo que estamos fazendo em nossas vidas aquilo que realmente nos torna felizes?

Parem e me digam, vocês ainda encontram tempo para conversar despreocupadamente com seus amigos, parentes, vizinhos? Ou vivem trabalhando o tempo todo para manter “uma vida melhor”´? É isso mesmo que vocês querem? É essa vida que faz vocês se sentirem felizes e realizados?

Perguntem a seus corações o que gostariam realmente de fazer, o que lhes daria prazer e alegria. Tenho certeza que não conseguem encontrar um tempinho para lembrar que existe um coração dentro de vocês.

Na realidade, este blog foi criado com a finalidade de fazer com que vocês se lembrem de que existem outras alternativas de se viver bem e feliz; e é exatamente isso que quero mostrar para vocês.

Um estilo novo de vida, bem, “novo” não é, nossos antepassados já viviam assim e eram felizes, que tal experimentar para saber como é e como se sentirá mudando um pouco o seu estilo de vida.

Podemos ter abundância criando um mundo mais simples e voltado mais para a solidariedade e a harmonia com a natureza.

Não estou aqui fazendo apologia a nada, apenas faço o que meu coração me pede para fazer, espero que gostem e compartilhem comigo desses momentos de completude com a nossa Mãe Natureza.

Se tiverem matérias que possam nos mandar vou ficar grata e com certeza estarão fazendo parte dessa corrente de amor e respeito por todos os seres vivos do planeta.

Fiquem na luz.

Beijos em seus corações.

CARMEN ARABELA

Todos nós brasileiros somos um pouco caipiras, independente de termos nascidos ou não na roça, essa raiz cabocla está presente em nossas vidas de diversas maneiras; no folclore por exemplo com as festas juninas; na alimentação principalmente, pois temos o costume de nos alimentarmos do mesmo cardápio a centenas de anos, o arroz e feijão são tão antigos quanto o Brasil.

Só que com uma diferença, antigamente não se usava nem tinha o adubo químico, tudo que se cultivava, era na terra pura, quando muito adubada com esterco animal. E tudo que se consumia vinha direto da horta ou da mercearia onde se pesava um quilo de cereal na frente do freguês.

Não é preciso ir tão longe, eu com a idade de 59 anos e nascido em uma pequena cidade do interior vivenciei até minha adolescência essa forma de vida saudável que se tinha nos idos dos anos cinqüenta e sessenta.

Lembro-me bem de como era a nossa mesa e tudo que fazíamos naquela época; meu pai era um agricultor; minha mãe dona de casa e ótima cozinheira; éramos em seis irmãos, todos os dias graças à Deus tínhamos refeição farta à mesa, mas o que posso dizer de melhor sobre isso é que toda a nossa alimentação era desprovida de agrotóxicos.

Eu, pessoalmente, não conhecia o adubo industrializado, e as verduras ou vinham da nossa própria horta ou eram compradas na porta de casa oferecidas pelos verdureiros contumazes.

Vivíamos de uma maneira tão integral, ao menos ao que concerne sobre alimentação, e nem sabíamos que éramos felizes.
 
Mas o poder do dinheiro falou mais alto, em nome dos lucros incessantes, as lavouras foram infestadas pelo conceito de produção cada vez maior, mecanizadas…e as terras ficaram fracas; foi preciso recompor os elementos minerais; as ervas daninhas (assim chamadas) foram combatida e são ainda pelos potentes venenos aplicados na lavouras em geral. 

A indústria do alimento conservado se desenvolveu, as facilidades em se comprar e consumir o que já está  pronto incentivou ainda mais a expansão da indústria alimentícia.
  
O que acontece hoje em dia todos sabemos; estamos enchendo nosso corpo de toxinas e venenos que não deveriam fazer parte de nossa alimentação, mas não é preciso que uma pessoa como eu, que viveu uma época livre de agrotóxicos venha alertar sobre isso, muitas pessoas estão se voltando para uma alimentação mais saudável , em respeito a natureza e a sua própria biologia.

O conceito de orgânicos está ganhando adeptos no mundo todo; já são inúmeras as instituições governamentais e não governamentais que estão imbuídas dessa filosofia nova, porém antiga de se consumir, ensinar e propagar as técnicas de cultivo orgânico.

Todo mundo sabe o que é bom para si, mas infelizmente por falta de oportunidades e de opções ainda somos obrigados a engolir o que não devíamos.

Uma época nova, um novo porvir está se abrindo para a humanidade, onde não mais será permitido o desrespeito ao próximo, a sua saúde, a sua integridade, desde já temos que começar a viver o amanhã, e tratar nosso corpo e espírito com a seriedade que eles merecem.

Nosso corpo físico tem sua origem na Luz e se ainda não sabemos ou não podemos nos alimentar somente  de Luz, vamos ao menos dar ao nosso corpo o que de mais puro possamos encontrar nas prateleiras dos supermercados, ou até mesmo produzir uma parte das verduras e frutas em nossas casas.

Vamos ser aqueles caipiras à moda antiga, quando o fio do bigode valia como uma promissória assinada e não se aceitava nada menos do que a verdade, não se enganava o vizinho para poder embolsar alguns mil réis a mais, não se colocava água no leite para aumentar o lucro.

Vamos deixar a saúde entrar, vamos fazer as pazes com a Natureza, vamos honrar a nossa Mãe Terra, vamos ser felizes outra vez.
Wilson Tadeu

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s